DESTAQUEPolicia

Vídeo: Delegado Nike Locatelli Fala sobre Assassinato de Servidor Público José Élio Gomes

O delegado Nike Locatelli concedeu entrevista ao site OuropretodoOeste.com esclarecendo sobre o homicídio do servidor público estadual José Élio Gomes, de 53 anos, ocorrido no último sábado (06). O corpo da vítima foi encontrado em uma residência após denúncia de desaparecimento.

Investigação e Prisão do Suspeito

Segundo o delegado, a polícia foi informada sobre o desaparecimento de José Élcio e iniciou diligências imediatamente. A última localização conhecida da vítima era a casa de Lucas, o principal suspeito. Ao chegar ao local, a polícia militar encontrou Lucas, que confessou o crime e permitiu a entrada das autoridades na residência, onde foi constatado o homicídio.

Motivações e Confissão

Lucas foi interrogado e alegou que o crime ocorreu devido a uma dívida que José Élio tinha com ele. Além disso, Lucas mencionou um suposto assédio por parte da vítima, mas detalhes específicos sobre essa acusação não foram divulgados. Durante uma discussão, Lucas teria agredido José, que ficou desacordado, e em seguida, o amarrou e o esfaqueou no pescoço, levando-o à morte por hemorragia.

Dúvidas sobre a Versão do Suspeito

A polícia, no entanto, não acredita integralmente na versão apresentada por Lucas. O delegado Niki destacou que outras linhas de investigação estão sendo exploradas, incluindo a possibilidade de um crime encomendado. A polícia civil tem um prazo de 10 dias para concluir o inquérito e espera finalizar a investigação até a próxima semana.

Colaboração das Forças de Segurança

O delegado ressaltou a importância da colaboração entre a polícia militar e a polícia civil, além do apoio das forças penais e da comunidade. A ação rápida e conjunta das forças de segurança resultou na prisão do suspeito e no avanço significativo das investigações.

Fonte: Ouropretodooeste.com

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo