Polícia Civil de Urupá prende suspeito de estuprar sobrinhos em menos de 24 horas do registro de ocorrência

0
Foto: Policia Civil

Nesta quinta feira, 05.05, a Polícia Civil em Urupá cumpriu um mandado de prisão preventiva em desfavor de ALAIR E. G., 27 anos, por suposto estupro de três sobrinhos, com idades de sete, oito e dez anos.

Ontem pela manhã o Conselho Tutelar noticiou na delegacia de Urupá que três crianças estariam sofrendo abusos sexuais por parte do tio.

As crianças foram atendidas pela psicóloga da SEMAS de Urupá , que apresentou um relatório trazendo fortes indícios da ocorrência dos abusos.

A autoridade policial do Município imediatamente encaminhou as crianças ao IML para exame de atos libidinosos, constatando-se a prática de coito anal.

Foram oitivadas algumas pessoas na Delegacia de Polícia e realizadas diligências pelos investigadores. Diante de todos os elementos de informação colhidos e da prova pericial a Polícia Civil representou pela prisão preventiva do tio das crianças, sendo prontamente deferido pelo Poder Judiciário e expedido o respetivo mandado.

A Polícia Civil apurou que o pai das crianças trabalha com vendas e costuma viajar uma semana por mês, e que nos últimos meses Alair passou a tomar conta das crianças durante essas viagens, dormindo com elas na casa do irmão, e justamente durante esses dias ocorriam os abusos.

A equipe do SEVIC localizou o suspeito na residência dos seus pais, preparando-se para fugir do município, e o conduziu para Delegacia de Polícia para interrogatório. Em seguida o suspeito foi encaminhado ao Presídio de Alvorada do Oeste, onde permanecerá à disposição da justiça.

Segundo o delegado Silvio Hiroshi Yamaguchi, responsável pelas investigações, Alair confessou a prática dos crimes, disse que logo no primeiro dia que dormiu com as crianças na casa do irmão praticou atos libidinosos com elas (sexo anal), e que, durante as viagens do irmão, abusou das crianças em todas as noites.

A foto do suspeito está sendo divulgada a fim de auxiliar a investigação em curso e possibilitar eventual reconhecimento por outras vítimas.

Foto: Policia Civil
Foto: Policia Civil

Fonte: Polícia Cidadã

 

comente

COMPARTILHAR