Monteiro Lobato – por Prof. Polini

0

Monteiro LobatoHoje citarei este autor ao qual nossa ESCOLA sente-se honrada em receber seu sobrenome, destaco o Sr. José Renato Monteiro Lobato (depois ele mudou o nome para José Bento Monteiro Lobato) que nasceu em 18/04/1882 em Taubaté e morreu em 04/07/1948. Ele foi um dos grandes nomes da literatura infantil brasileira, sendo autor de obras clássicas como “O Sítio do Pica-pau Amarelo”. Foi membro da Academia Paulista da Letras e também foi eleito para a Academia Brasileira de Letras (mas recusou a cadeira). Morreu em 1948, vítima de derrame.

Vida 

Monteiro Lobato nasceu em 1882 e, desde cedo, despertou o gosto pela leitura. Quando adolescente, foi para São Paulo estudar no Instituto de Ciências e Letras e mais tarde ingressou na Faculdade de Direito, onde se formou no ano de 1904.

Depois de ser aprovado num concurso público, começou a trabalhar na cidade de Areias (no Vale do Parnaíba). Além de trabalhar como promotor, Monteiro Lobato também escrevia para diversas revistas e jornais. Em 1908 ele se casou com Maria Pureza da Natividade e o casal teve quatro filhos. Publica Urupês, seu primeiro livro, em 1918.

O escritor fundou uma editora, mas acabou falindo. Depois Monteiro Lobato se mudou para o Rio de Janeiro e começou a publicar livros infantis. Publicou, em 1921, Narizinho Arrebitado, que foi um grande sucesso e deu origem ao Sítio do Pica-pau Amarelo. Monteiro Lobato morreu de problemas cardíacos em 1948.

Livros e Personagens

A produção de Monteiro Lobato é bem extensa. Podemos destacar, dentre outros obras, as seguintes: O Marquês de Rabicó (1922), Reinações de Narizinho (1931), Memórias de Emília (1936), Histórias da Tia Anastácia (1937), O Sítio do Pica-pau Amarelo (1939).

Dentre seus personagens mais famosos, podemos destacar os personagens do Sítio do Pica-pau Amarelo: Emília (a boneca de pano que ganha vida), Pedrinho, Dona Benta, o Visconde de Sabugosa, o Marquês de Rabicó, a Cuca (que era a vilã da narrativa) e o Saci Pererê. Além deles, outro personagem que se destacou foi o Jeca Tatu (do livro Urupês), personagem pobre que representava a figura do caipira brasileiro.

Monteiro Lobato, em seus contos, também criticava alguns aspectos do país, como a burocracia, as condições sociais, o crescimento desordenado das cidades, entre outros assuntos.

Por: Professor Polini

comente

COMPARTILHAR