Família pede doação de sangue à gêmea atropelada por trator, em RO

0

A família da gêmea Maria Izabel Vieira dos Santos, atropelada por um trator pá carregadeira no início do mês, quando voltava da creche com a irmã de 2 anos e uma tia, pede por doação de sangue à criança em Rondônia. A menina segue internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Infantil Cosme e Damião, em Porto Velho. Ela teve múltiplas fraturas no quadril e uma perna teve de ser amputada. O sangue de qualquer tipificação pode ser doado na Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Rondônia (Fhemeron), na capital.

Segundo a avó, Kátia Regina Vieira, Maria Izabel precisa repor o sangue, mas o estoque da Fhemeron está baixo para atender a demanda dela e de outras crianças. Dona Kátia não soube especificar quantas bolsas de sangue Maria Izabel toma por dia. O hospital não divulga o estado de saúde da criança a pedido da família.

“Bebel”, como é chamada pela família, está internada na UTI desde o dia 14 de março, quando sofreu o acidente. Ela voltava da creche com a irmã de dois anos e uma tia de 23, na avenida Arthur Mangabeira, em Ariquemes (RO), região do Vale do Jamari.

A outra gêmea, Maria Eduarda, teve alta no dia 18 de março, após ficar internada em um hospital particular do município. A tia das meninas que estava na ocasião não se feriu com gravidade.
Maria Eduarda sofreu uma grave fratura no pé esquerdo e teve de ser operada no dia do acidente.

Segundo a pediatra Rosimery Monterio, a criança vai continuar o tratamento com medicação em casa, mas deve comparecer ao hospital diariamente para fazer curativos devido à gravidade e profundidade do ferimento.

gemeas_trator
Foto: Arquivo pessoal

O acidente

Segundo a Polícia Militar (PM), o acidente aconteceu quando as vítimas voltavam de uma creche infantil. O condutor do veículo relatou que não viu as crianças e nem a tia delas, apenas ouviu o barulho da batida, após o acidente. A advogada do motorista diz que ele está em estado de choque desde o acidente.

Conforme a Polícia Civil, a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do condutor está vencida há 30 dias e, por esse fato, ele assinou um Termo Circunstanciado. O motorista foi ouvido e liberado em seguida.

Raiva
Em relato ao G1, a avó das crianças disse que “o sentimento de raiva não passou pela cabeça da família”, após o acidente. “O mais importante nesse momento é a vida da Bebel”, declarou dona Kátia Regina Vieira, avó das gêmeas de dois anos.

comente

COMPARTILHAR