Dia da Consciência Negra – por Prof. Polini

0

consciencia-negraCultura afro-brasileira, uma identidade a ser respeitosamente valorizada… O dia 20 de Novembro é uma data significante historicamente, pois foi a forma encontrada  para homenagear o líder na época dos quilombos, fortalecendo assim mitos e referências históricas da cultura e trajetória negra no Brasil e também reforçando as lideranças atuais. É o dia de lembrar o triste assassinato de Zumbi, que é considerado herói nacional por lei, e de combate ao racismo, conforme é citado na  lei federal 12.519/2011, instituindo o 20 de novembro como Dia Nacional da Consciência Negra. Já a adoção dos feriados em algumas localidades brasileiras fica a critério de suas leis municipais.

Viajando na História… O Quilombo dos Palmares ficava no estado de Alagoas e é considerado o maior quilombo territorial e temporal do Brasil, pois durou cerca de 100 anos. Em seu auge, chegou a abrigar aproximadamente entre 25 mil a 30 mil negros. Funcionava como um Estado dentro de outro Estado. Os negros fugiam do sistema escravista e se refugiavam nesta área de difícil acesso, mas com solo muito rico e fértil”.

 O questionamento… Mas como a comunidade quilombola conseguiu resistir por um século contra as tropas do exército brasileiro, que se utilizava de canhões pela primeira vez em tentativas para a total destruição do quilombo?

Leitores no quilombo os escravos possuíam também um corpo bélico(armamento), eles conseguiam estas armas por meio de escambo( trocas), com fazendeiros da região, e até mesmo pela comida/alimentos que produziam e com a realização de  assaltos, desta maneira eles tinham as condições necessárias para o enfretamento aos militares.

Lembrando que, o quilombo também contava com uma rede de informação grande e ampla, onde negros ainda na condição de escravos passavam informações antes das tropas chegarem ao local, a posição geográfica era extremamente favorável a eles, assim  a prática de guerra adotada era semelhante a de uma organizada guerrilha, quando eram atacados saiam antes das tropas chegarem deixando o quilombo vazio

 

A temática nas escolas… O dia da Consciência Negra também coloca em pauta a importância de as escolas discutirem a temática negra. Abordando a inclusão de assuntos ligados ao continente Africano e aos povos negros na educação formal, informando os estudantes para que reconheçam e respeitem a presença e a importância desse grupo na história do Brasil. Não à toa, várias escolas honrosamente já reconhecem e trabalham a cultura negra em seu dia a dia.

Hoje, a legislação educacional preconiza que seja ensinado e compartilhado temas relativos à história dos povos africanos em seu currículo. As diretrizes curriculares estabelecem que a diversidade cultural do país devem ser trabalhada no âmbito escolar. Infelizmente temos situações equivocadas por membros da sociedade em que vivemos valorizando outro estereótipo, isso negativamente resulta na invisibilização do negro. Resultado, ocorre diariamente um efeito bastante perverso, onde as crianças negras nunca se vêm e o que elas olham é sempre diferente delas. Nós como educadores temos que viabilizar a  pluralidade cultural citando temas que podem e devem ser abordados de forma transversal, multidisciplinar em várias disciplinas, estabelecer estratégias simples, revelando a África pela própria visão africana também surte efeito. Pois o continente produz cultura, histórias e mitologia, o que a perspectiva eurocêntrica não nos deixa ver.

Finalizo reforçando o pedido de vocês nobres leitores assim como citei no início desta publicação, que a “Cultura afro-brasileira, é uma identidade a ser respeitosamente valorizada”.

Prof:  POLINI

comente

COMPARTILHAR