Chefe do DNIT vai ter que explicar desleixo na recuperação da BR 364

BR RUIMO deputado Adelino Follador (DEM) disse nesta segunda-feira (11), que vai insistir junto ao superintendente regional do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT), Sérgio Augusto Mamanny, em defesa da utilização racional dos recursos públicos na execução dos serviços de manutenção e recuperação da BR-364.

Segundo ele, a situação não só da BR-364, mas também das outras rodovias federais (BR-429, BR-421, BR-425) é de total abandono ante o desleixo na gestão dos recursos públicos, tendo em vista que os serviços são contratados, mas executados sem garantia e com qualidade questionável, visto que são realizados e recontratados logo em seguida para manutenção. “Ora, o que significa isso?”, indagou o parlamentar pedindo explicação à Superintendência da autarquia.

Adelino Follador revelou-se insatisfeito com a atitude do superintende do DNIT, que para a Assembleia Legislativa justificou sua ausência na audiência pública, afirmando que estava em Brasília tratando de assuntos referentes à BR-364, enquanto seu próprio representante no evento, engenheiro Alan de Oliveira Lacerda, coordenador de engenharia da autarquia, informou que ele, na verdade, estava na cidade de Jaru (RO).

O deputado fez lembrar ao gestor do DNIT em Rondônia que ele ocupa um cargo público e que por isso precisa prestar esclarecimentos de seus atos. Follador chegou a citar a situação econômica e política do País, fruto da má gestão e da corrupção que quase virou prática legal na administração federal, para chamar a atenção do superintendente do DNIT, alertando que Rondônia e seu povo não vai mais aceitar o descaminho e os abusos que tentam impingir à sua economia. “Nós, os 24 deputados abrimos oportunidade para o superintendente se explicar, mas parece que isso foi pouco, pois ele desprezou esta oportunidade”, disse.

Adelino Follador fez menção também à fala do engenheiro, Alan Lacerda, que foi taxativo ao afirmar que os recursos federias estão sendo retirados de Rondônia para atender a outros estados. Para o deputado esta é uma realidade que depõe contra a imagem dos representantes do Estado no Congresso Nacional (Câmara e Senado), todos alinhados até agora com a política econômica e de gestão do governo federal.

Segundo o deputado, esta constatação do engenheiro do DNIT deveria servir como um estímulo à reação da classe política, de modo a repensar seu papel e passar a desempenhar seu mister com a nobreza e responsabilidade que a função exige. O deputado prometeu levar ao conhecimento de deputados federais e senadores de Rondônia as afirmações do coordenador de engenharia do órgão.

Follador disse que possivelmente voltará a convocar o superintendente do DNIT, Sérgio Augusto Mamanny, para que ele explique a dupla contratação ou execução dos serviços nos mesmos termos e trechos e outros atos iguais e supostamente ilícitos, não explicados pelo seu representante, e que têm sido responsáveis por prejuízos econômicos para o Estado de Rondônia e por muitas mortes na BR-364, na disputa por uma palmo de asfalto, eis que as crateras estão lá servindo de palco para a luta entre as pessoas e as máquinas, onde o vencedor é a morte.

Fonte: Ascom.

comente

COMPARTILHAR